quinta-feira, 14 de maio de 2009

CASAMENTOS ENTRE HOMOSEXUAIS


O que me leva hoje a deixar aqui umas breves palavras, tem que ver com o facto de aparentemente ver tantas pessoas preocupadas com o casamento enquanto instituição.
Defendem-no com tal fervor que alguém menos atento até poderia pensar que haveria gente empenhada em extinguir este tipo de união e isto só porque são contra o casamento entre homosexuais .

Numa época em que cada vez existe maior ausência de valores, os divórcios aumentam e este tipo de união demonstra uma importância secundária, este insurgimento contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo , parece-me no mínimo curioso.

Explique-se que se trata de um casamento civil e não religioso, ninguém vai de véu ou grinalda.
Será tão difícil de entender que estes contribuintes querem casar por amor e terem os mesmos direitos que um casal heterosexual!

Não me venham com o chavão que o casamento é uma instituição, ou as mulheres já se esqueceram que também há relativamente pouco tempo não tinham os mesmo direitos no casamento que os homens!

Também não utilizem o argumento ridículo que o casamento existe para as pessoas procriarem, senão pergunto em que categorias se encaixam os casais inférteis ou os que optaram por não ter filhos.

Quantos pais e mães não renegam os seus filhos só porque são homosexuais! …
Que direito têm estas famílias ,que abandonaram os seus filhos , sobre uma pessoa que acompanhou o companheiro nos bons e maus momentos de uma vida?
Eu digo nenhum, pois eu acho que mais importante que o sexo a religião ou a cor da pele é a felicidade.

Óscar wilde sabiamente disse:
Viva pelo prazer! Nada envelhece tão bem quanto a felicidade

3 comentários:

Lesma Morta disse...

Penso que um dos primeiros passos a dar na luta que aqui defendes é conferir mais rigor ao termo casamento e dai então partir para a alteração ao Código Civil, senão vejamos. Antes do mais essa questão deve ter por base a noção de Casamento Civil e não apenas Casamento que por si só trás enormes confusões.
Posteriormente prosseguir com a alteração do art. 1577 do mesmo código que afirma que o casamento é um contrato celebrado entre pessoas de sexo diferente que pretendam constituir família...
Como sabes, até à bem pouco tempo fui contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo e por ter mudado de ideias deixo aqui o meu testemunho.
Numa sociedade que se pretende evoluída, legal e respeitadora dos direitos humanos, como o pretende ser a sociedade ocidental, não pode haver qualquer tipo de discriminações.
A lei civil refere claramente que o casamento é um contrato. Ora nesses termos, um contrato pode ser celebrado por qualquer cidadão desde que seja impotável, quer isto dizer, desde que goze de todos os seus direitos. Que se saiba, neste caso, um homossexual não está, só pelo facto de o ser, impedido de qualquer direito. Assim não vale a pena tapar o sol com uma peneira. Esta realidade existe e tem de ser contemplada legalmente para que todos possam contribuir com justiça para com a sociedade em que habitam e dela receber o mesmo que todos os outros em direitos e deveres.
É uma hipocrisia defender a Declaração Universal dos Direitos do Homem, que no seu 1º art. nos informa que todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos, prosseguindo no nº 2 da mesma carta dizendo que independentemente da raça, da cor, do sexo etc., e manter este artigo 1577º na nossa lei civil.
Assim e após amadurecer melhor aquilo que hoje considero ter sido um preconceito, apoio claramente pelo que atrás enunciei, a união contratual entre pessoas do mesmo sexo, para que todos possam viver em felicidade.

Abç

Jorge Santos Silva

Paulo Vasco disse...

Excelente post: palavras simples, uma opinião e a verdade!

findU disse...

Concordo completamente contigo, pois até ninguém escolhe ser gay, e principalmente num pais como este, onde existe muito preconceito e impede que muita boa gente se deixe de assumir com o medo das consequências que lhe podem estragar a vida. Mas é só a minha opinião...

Abraços